Analistas elevam previsão para o PIB de 2017 a 1,20%

alistas do mercado financeiro consultados semanalmente pelo pelo banco central elevaram a previsão para o desempenho da economia em 2017. O relatório indica que a atividade registrará uma expansão de 1,20%. Para este ano, a previsão de recuo foi mantida em 3,20%.


Outro indicador positivo para 2017 é a expectativa de inflação, que passou de 5,14% para 5,12%. No ano que vem, a meta de inflação também é 4,5%, mas a variação tolerada é menor, de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.Na semana anterior, a mediana do levantamento feito pelo BC indicava que a economia cresceria 1,10% no ano que vem. Esta previsão foi mantida inalterada por quatro semanas consecutivas.

Para 2016, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) esperado foi mantido sem alteração em relação ao levantamento da semana passada, em 7,31%. Se o IPCA de fato fechar 2016 neste patamar será a segunda vez seguida que ficará acima do teto da meta estabelecida pelo governo. O objetivo do BC é que a taxa este ano fique em 4,5%, podendo variar dois pontos para cima ou para baixo. Em 2015, a inflação ficou em 10,67%.

Já o dólar deve chegar ao fim do ano que vem em um patamar um pouco menor ante o real do que o esperado no Focus da semana anterior: R$ 3,45 em vez de R$ 3,50. Para 2016, a cotação prevista foi mantida pela terceira semana consecutiva em R$ 3,30.

A previsão para a taxa básica de juros ao fim deste ano foi mantida inalterada frente à pesquisa da semana passada em 13,75%. Para 2017, a taxa prevista há oito semanas é de 11%. Desde julho do ano passado, a Selic está em 14,25% ao ano.